abas2

Abas

domingo, 24 de maio de 2015

Morro Dois Irmãos

(Fonte: Google)
Morro Dois Irmãos é uma formação rochosa no bairro do Vidigal, no Rio de Janeiro. Possui esse nome porque a rocha se divide em duas, formando os chamados Irmão Maior e o Irmão Menor, sendo o irmão maior com 533 metros de altitude acima do nível do mar que pode ser atingido por meio de uma trilha de 1,5 km de extensão.

Apesar de ser um destino recente para a maioria dos turistas, após a pacificação da favela do Vidigal, é um dos destinos que possui as melhores vistas da cidade. Vista da trilha dos Dois Irmãos é possível ter uma visão 360º da cidade onde pode-se observar São Conrado e a Pedra da Gávea e Pedra Bonita de um lado, Rocinha pela esquerda (a maior favela da América Latina), Vidigal pela direita, e em frente as praias de Leblon e Ipanema, Lagoa Rodrigo de Freitas, Corcovado, Jockey e até Niterói. 

A trilha se inicia pelo bairro do Vidigal, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. O bairro e a comunidade do Vidigal, embora muito pobres, como toda favela, situam-se entre os bairros mais nobres do Rio, como Leblon e São Conrado, sobre o Morro Dois Irmãos.

(mapa da trilha do Morro Dois Irmãos - Fonte: Google)



Antigamente, as terras do entorno do Morro Dois Irmãos eram usadas como pastos e lavouras, e em seguida foram transformadas em canaviais até o século XIX. 


Em 1809, um ano após a chegada de D. João VI, foi criada a Secretaria de Polícia, e com ela foi organizada a Guarda Real de Polícia. Para comandar a Guarda, foi nomeado o major Miguel Nunes Vidigal. Por conta de sua fama e prestígio, recebia diversos presentes, entre eles recebeu em 1820 uma enorme faixa de terra aos pés do Morro Dois Irmãos dos monges beneditinos.

Em 1886 o terreno foi comprado pelo engenheiro João Dantas com o objetivo de criar uma linha de ferro em direção ao litoral sul fluminense. O projeto não foi adiante, e em 1941 foram construídos os primeiros barracos, que seriam à base da atual Favela do Vidigal e do Alto Leblon. 

A favela teve um histórico conturbado, como a luta entre os moradores para a remoção em 1978, o início do tráfico nos anos 80 e guerras entre facções, principalmente contra seu vizinho, a Rocinha. Por muitas décadas, junto de outras favelas, Vidigal foi considerado um dos locais de maior perigo no Rio devido a guerra do tráfico, mas em 18 de Janeiro de 2012 a comunidade passou a ser atendida pela 19° UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) com o efetivo de 238 policiais, que devolveu a segurança do local.

Em seu entorno foi criado, em 1992, o Parque Natural Municipal do Penhasco Dois Irmãos, que ocupa uma área de 39,55 hectares em volta do morro. O Parque ainda é pouco conhecido dos cariocas e turistas, conta com áreas para piquenique, um pequeno teatro de arena, quadra de futebol, parquinho para crianças e sete mirantes que dão vista para cartões-postais cariocas como o Cristo Redentor, o Arpoador e as praias de Ipanema, Leblon e São Conrado. Desde 2011 o parque é auto-suficiente energeticamente, graças à instalação de painéis de energia solar.

(mapa do Parque Penhasco Dois Irmãos)

- A trilha curiosamente não faz parte do circuito oficial da prefeitura. A Secretaria municipal de Meio Ambiente informa que o caminho não pertence à rede de trilhas do Parque Municipal Penhasco Dois Irmãos. 

- O pico foi citado por Chico Buarque na canção Morro Dois Irmãos ("Dois Irmãos, quando vai alta a madrugada/E a teus pés vão-se encostar os instrumentos") e também por Antônio Cícero, na letra de Virgem, de Marina Lima ("As luzes brilham no Vidigal/E não precisam de você/Os Dois Irmãos também não precisam").


O clima é tropical atlântico e a média anual das temperaturas é de 23,8 °C. Por se tratar de uma cidade litorânea, o efeito da maritimidade é bastante perceptível, traduzindo-se em amplitudes térmicas relativamente baixas. A média anual das temperaturas médias máximas mensais é 27,3 ºC, e das médias mínimas mensais, 21 °C.

Os verões são marcados por dias quentes e úmidos, eventualmente suplantando a barreira dos 40 °C em pontos isolados, enquanto os invernos apresentam-se amenos e com regime de chuvas mais restrito, com mínimas raramente inferiores a 10 °C.


Todas as estações são boas para visitação ao Morro Dois Irmãos, porém deve-se tomar cuidado com o calor e as tempestades no verão.


Roupas leves, protetor solar, água e comidas frescas como frutas.


O acesso ao Bairro do Vidigal se dá por Existem diversas maneiras de se chegar ao Vidigal para início da trilha:

  • Ônibus - há duas principais opções:
  1. Saindo de Copacabana: pegar as linhas 557, 382, 360, 177. 
  2. Saindo da Barra da Tijuca: pegar as linhas 525, 2334, 2338, 360. 
  3. Saindo do Centro: pegar as linhas 2334, 177, 2335.

  • Kombi - pegar em Ipanema, onde vai até o topo da comunidade e custa R$2,50.


  • Mototáxi - pegar em Ipanema, onde vai até o topo da comunidade e custa R$5,00.




Estar no topo do Morro Dois Irmãos é ter uma vista privilegiada, principalmente da Zona Sul do Rio de Janeiro. A trilha é considerada média e possui 1,5 km de extensão, durando entre 30 a 60 minutos de caminhada. Caso prefira subir o morro a pé até o início da trilha, a subida pode levar mais 40 minutos além da trilha.

Fui de carro até o morro, pois conhecia um morador do Vidigal e subi com ele até o início da trilha. Não indico que façam isso porque realmente as ruas são muito estreitas onde é difícil passar dois carros de uma vez pelo mesmo local. O melhor mesmo seria pegar um mototáxi ou uma kombi para chegar no local.

Chegando lá, estacionei o carro e fomos no local conhecido como "Arvrão". Dali já se dá pra ter uma bela vista do local.

(mirante do Arvrão)
  
Como a comunidade hoje em dia é pacificada, notei uma segurança neste lugar onde foi possível ver alguns policiais andando por perto. No "Arvrão" hoje em dia é o local de muitas festas as quais atrai muitos moradores de outros locais e turistas de outros países.



Depois de um tempo conhecendo a região, finalmente chegamos no início da trilha que é uma pequena faixa de concreto que passa entre umas casas até o início da mata.

De início fomos caminhando com uma mata um pouco mais fechada que ia se abrindo conforme íamos subindo até o topo. Nos primeiros 10 minutos de subida já era possível ver o bairro de São Conrado e a Pedra da Gávea.

(vista de São Conrado)

Mais 5 minutos caminhando e pudemos chegar a um ponto em que era possível ver a Rocinha de cima, considerada a maior favela do Brasil e quem sabe da América Latina.

(vista da Rocinha)

Esta favela é realmente grande cruzando a mata entre os bairros de São Conrado e Leblon.

(Rocinha)

Mais alguns minutos de subida e a paisagem ia mudando para uma vegetação rasteira, tornando a subida um pouco mais desgastante sem a proteção natural do sol.


Finalizando a trilha por cerca de 30 minutos, finalmente chegamos ao topo do irmão maior. No local existia um marco do topo. Dali se podia ver a Zona Sul

(vista da Zona Sul do topo do Morro Dois Irmãos)


Dali também era possível observar a Pedra da Gávea e a Pedra Bonita logo ao lado, nada mal não!?

(vista da Pedra da Gávea e Pedra Bonita do topo do Morro Dois Irmãos)

Do topo dava para ver que já tinham algumas pessoas apreciando o lugar, sinal de que os turistas estão sendo bem vindos a conhecer este mirante. Ao conversar com o meu amigo morador, ele me informou que a segurança melhorou muito depois da pacificação da favela e com a permanência dos policiais no Vidigal. Ótima oportunidade para se aventurar nesta trilha!!!



E a vista da cidade não deixava nem um pouco a desejar.

(vista da cidade pelo irmão maior)


 Graças a Deus era um dia lindo na cidade naquela manhã e pudemos observar toda a beleza da Zona Sul.



A vista da Rocinha dali também era uma de tirar o fôlego.

(vista de cima da Rocinha)

Tirei até uma panorâmica para mostrar melhor a imensidão do local.



Chegando pelo lado oposta era possível observar a favela do Vidigal de cima e toda a extensão litorânea.

(vista de cima do Vidigal)

Mais uma foto panorâmica para mostrar a beleza de nosso litoral.



Dali também era possível observar o Arquipélago das Ilhas Cagarras. Por sorte estava passando um cruzeiro entre as ilhas, dando assim para se ter noção do tamanho do arquipélago.

(Arquipélago das Ilhas Cagarras)

Como estávamos com tempo, o jeito era relaxar e observar essa maravilha de cidade.



Não podia esquecer de tirar foto com o meu amigo morador e aventureiro.



Fazer trilha e ter uma vista como essa não tem preço. #lifeaholic
 


Com isso chego ao fim da postagem. Espero que tenham gostado!


Até a próxima aventura!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...