Logo

abas2

Abas

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Praia do Sono

(Fonte: Google)
A Praia do Sono está situada na Reserva Ecológica da Juatinga e está dentro dos limites do município de Paraty, estado do Rio de Janeiro, próximo a divisa com o estado de São Paulo, Brasil. 

É uma enseada com extensão de 1,4 km de faixa de areia clara e fina, águas esverdeadas e cercada por altas montanhas cobertas por vegetação nativa. O mar propicia a formação de ondas para a prática de surfe e seu acesso é restrito por se encontrar longe da civilização.

A praia do sono faz parte da Reserva Ecológica da Juatinga, que abriga doze núcleos de ocupação de populações tradicionais (caiçaras), que se distribuem ao longo litoral e vivem da pesca artesanal, agricultura de subsistência e mais recentemente do turismo.



Criada por  Decreto Estadual n° 17.981, de 30 de outubro de 1992, a Reserva Ecológica da Juatinga possui 9.960 hectares, envolvendo toda a península localizada entre o Saco de Mamanguá, Ponta da Joatinga e Ponta Negra, com o objetivo de fomentar a cultura caiçara. Esta reserva está situada dentro da APA do Cairuçu, na vertente oceânica da Serra do Mar, e possui algumas das mais belas praias de Paraty como Sono, Antigos, Antiguinhos, Ponta Negra, Martim de Sá, Pouso, Juatinga, Cairuçu das Pedras, Itanema, Calhaus, Itaóca, Grande da Cajaíba e Mamanguá. 

(mapa da Reserva Ecológica da Juatinga)

A floresta dessa reserva é a única mata primária existente no município, diferenciando-se das demais pela grossura e altura das árvores e pela grande quantidade de palmito jussara existente. Possui relevo bastante acidentado, variando desde ondulado, montanhoso e escarpado, com altitudes que vão do nível do mar até 1.070 m, no Pico do Cairuçu. Devido ao relevo irregular e aos rios que percorrem a região, é comum a presença de cachoeiras e cascatas durante o percurso do trekking.

Dentro da reserva existem 12 núcleos de populações tradicionais que se distribuem ao longo do litoral. Várias fitofisionomias da Mata Atlântica são encontradas, como os manguezais, as matas de restinga e os palmitos (no sub-bosque).


- A Reserva Ecológica da Juatinga foi a primeira Unidade de Conservação a ser criada com o expresso objetivo de fomentar a cultura caiçara local, compatibilizando-a com a utilização de seus recursos naturais, de acordo com os preceitos conservacionistas.

- Acredita-se que o nome Sono venha das montanhas que cercam a praia, fazendo o Sol nascer mais tarde e se pôr mais cedo.

A região apresenta clima quente e úmido, com pouco ou nenhum déficit hídrico. Pela proximidade com o mar, o efeito da maritimidade é bastante perceptível.

Os verões são marcados por dias quentes e úmidos, enquanto que os invernos apresentam-se amenos e com regime de chuvas mais restrito.


A infra-estrutura turística é pequena, contando com algumas pousadas e restaurantes, todos na pequena vila de pescadores.  O principal meio de hospedagem é o camping, onde existem 17 áreas onde se oferece esta infra-estrutura.

Todas as estações são boas para visitação à Praia do Sono, porém deve-se tomar cuidado com o calor e as tempestades no verão. 

A melhor época pra fazer a travessia é o verão, pois nesta época a temperatura ajuda a aproveitar melhor as praias, além dos rios e cachoeiras estarem mais cheios. No inverno chove menos, mas o frio não incentiva os mergulhos.

Em os feriados e nos finais de semana da alta temporada a Praia do Sono recebe vários turistas, portanto se você procura um pouco de paz evite estas épocas.


Roupas leves, barraca, lanterna, material de cozinha (talher, prato, panela, fogareiro, comida, etc), repelente, roupas de banho, snorkel (caso queira mergulhar) e protetor solar.


Existem duas maneiras de se chegar até a praia do Sono: por trilha de cerca de 1 hora a partir da Vila do Oratório, junto ao Condomínio Laranjeiras, ou por botes com motor de popa, saindo do condomínio Laranjeiras.


  • Ônibus - para chegar no Condomínio Laranjeiras de ônibus, deve-se pegar um da viação Colitur que sai da rodoviária de Paraty. A linha é a 1040 – Paraty x Laranjeiras que faz um trajeto de aproximadamente uma hora. Se você quer seguir de trilha até a Praia do Sono, o ponto a saltar do ônibus é o final. A trilha começa na Vila do Oratório, a direita do ponto de ônibus, em uma subida.



  • Carro: pela Rio-Santos, no sentido São Paulo pega-se a estrada para o Condomínio de Laranjeiras. A entrada da trilha fica em uma pequena vila logo após o condomínio.


  • Barco - no cais de Paraty, alguns pescadores podem realizar o trajeto até a praia do Sono. A partir do condomínio Laranjeiras existem barqueiros que fazem também esta travessia até a praia.






    Paraty é um lugar que nos reserva muitas praias com mata quase intocada pelo homem ainda, além de ser uma cidade histórica. A Reserva Ecológica da Juatinga continua sendo bastante preservada e isso chama a minha atenção para visitar as praias da região. Então fui conhecer a praia do Sono com os amigos.

    Saímos de carro do Rio de Janeiro até Paraty, de onde pegamos a entrada para pegar uma van que iria passar pelo Condomínio Laranjeiras para que a gente pudesse pegar um barco até a praia.

    Assim, deixamos nosso carro estacionado em uma propriedade particular que nos cobrou R$10,00 por dia. Pegamos a van e passamos pelo condomínio, onde não se podia tirar fotos até o trajeto final onde tinham já as lanchas esperando para fazer o trajeto.

    A lancha tinha cobrado R$50,00 por pessoa pelo trajeto de lancha e como já estávamos dentro da lancha, poderíamos tirar fotos né!? Olha os helicópteros dos residentes do Condomínio Laranjeiras!!!


    Continuando o nosso trajeto de lancha, parecia que o dia não seria dos melhores.



    Em cerca de 10 minutos andando com a lancha, chegamos a tão querida praia do Sono, uma praia com mais de 1km de extensão com águas claras e esverdeadas.



    Ali, arrumamos um camping para armar a nossa barraca e finalmente curtir a praia, que parecia calma e tranquila.




    Eis que o sol começava a abrir e parecia que o dia ia nos ajudar.



    Uma grande hora de jogar cartas com os amigos, para evitar o sono da calmaria desse lugar. Preciso dizer que ganhei no truco??? hahaha.



    Como havíamos chegado cedo, perguntamos aos locais se tinha alguma cachoeira e para a nossa surpresa, soubemos que tinha um lugar chamado Poço do Jacaré. Então pegamos a trilha, que durou cerca de 15 minutos e chegamos no poço.



    Ali era um ótimo poço de água doce para refrescar o dia quente, pois a água era gelada e tinha alguns pontos em que não dava pé.



    Pausa para aquela foto do grupo.




    O dia estava ótimo, mas assim que voltamos do poço, a chuva começou a cair.... e não foi pouca chuva não!!!



    Aos poucos o rio foi transbordando e o camping ficou alagado. Pegamos rapidamente as nossas coisas e colocamos na área externa de uma casa para nos abrigar. Olha só como ficaram as nossas coisas.



    A chuva era tanta que tentamos voltar para ver se dava para pegar mais alguma coisa e nos deparamos com o camping assim.




    Ta vendo esta árvore? É onde estavam as nossas barracas antes da inundação...ahhahah




    Mas nem mesmo a chuva tirou o nosso ânimo de curtir um bom som do pessoal que estava no camping. Nada que um pessoal animado não faça o dia melhor mesmo após esta pequena tragédia.



    Depois de muita, mas muita chuva, o tempo estabilizou e ainda nos premiou com este lindo arco-íris!! Era o sinal de que o tempo estava mudando?





    A praia fica ainda mais bonita né!?




    Assim que voltamos ao camping quando o nível de água já havia baixado, armamos novamente a nossa barraca. Porém, com a noite vindo a chuva voltou a cair e aproveitei para tomar o meu banho de chuva!!!



    A noite realmente não foi das melhores e ficávamos tensos da chuva estragar a nossa viagem, mas para a nossa surpresa no dia seguinte o Sol resolveu aparecer!!!



    Vamos aproveitar a praia? Sim ou claro?




    O jeito era ficar ali aproveitando o sol, mas a sombra feita pelas amendoeiras era muito boa também.




    Hora do rango!!! Paramos em um dos restaurantes próximos a praia e pedimos um peixe que estava delicioso, porém esqueci de tirar foto da comida. =/




    Depois do almoço e de um bom descanso, resolvemos nos banhar de rio...




    O rio não era fundo e dava para ficar aproveitando ali por bastante tempo. Quer vida melhor?



    Por fim, já que estávamos ali no final da praia do Sono, sabíamos que existia uma trilha que iria dar na praia de Antigos, uma outra praia linda que não era habitada e seu acesso só é feito por barco ou trilha. Então subimos o morro para chegar ao outro lado e tivemos esta linda vista da praia do Sono.



    Subir o morro era cansativo, pois além de ser uma subida íngreme, também não tinha uma cobertura vegetal que nos protegesse do sol.



    Depois dessa subida a descida era mais tranquila, dando um total de 30 minutos de trilha, chegamos a praia de Antigos, uma praia de 400 m de extensão com águas claras e esverdeadas.



    Aquela pausa para a foto!!



    Era outra praia que dava para passar um bom tempo ali aproveitando. Ali não é permitido acampar, o que torna esta praia especial com pouquíssimas pessoas acessando-a. Um paraíso!!!



    Ficamos bastante tempo aproveitando aquela praia, até que resolvemos ir para Antiguinhos, uma praia situada a 700 m de Antigos e com 60 m de extensão. O acesso foi ali mesmo pelas pedras e não é difícil a caminhada.



    Com cerca de 10 minutos de caminhada, chegamos a Antiguinhos. Esta praia pequena e aconchegante, a mais deserta das três visitadas.



    Como já estávamos a muito tempo no sol, preferimos ficar um pouco na sombra vendo esta linda praia.



    E quem disse que só tinham humanos na praia? Os cachorros também gostam delas.



    Aquela famosa foto do grupo...



    Hora de voltar para o camping, pois já estava ficando tarde. Pegamos a trilha de volta e na chegada a praia do Sono, nos deparamos com este lindo pôr do sol. Ao fundo no centro da foto, conseguimos ver a ilha do rato. Não é que parece um ratinho mesmo?rs



    Mas a viagem não tinha acabado. paramos em um dos restaurantes e estava rolando um som do próprio pessoal que estava no camping. Ficamos ali tomando uma cerveja, comendo uns petiscos e ainda cantando junto com essa galera, realmente sensacional!!!




    Ficamos ali até altas horas da noite, pois o dia seguinte infelizmente era para voltarmos para casa. A vontade é de ficar ali sempre naquela calmaria. Nem a chuva estragou o encanto por esta praia.



    Mais um grande lugar visitado. Apesar da curta viagem, deu para aproveitar bastante uma das praias mais famosas de Paraty. 

    Vale muito a pena visitar este lindo lugar e outras praias de Paraty também.

    Até a próxima aventura!!








    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...