abas2

Abas

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Visconde de Mauá

(Fonte: Google)

Visconde de Mauá é um distrito do município de Resende, no estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Visconde de Mauá tem cerca de seis mil habitantes. A principal atividade econômica da região é o turismo, com mais de 100 estabelecimentos de hospedagem (muitas pousadas) e dezenas de restaurantes, alguns especializados em trutas e receitas à base de pinhão. Também há chalés e campings para quem quer uma hospedagem mais barata.

A região de Visconde de Mauá está numa área de proteção ambiental (APA) e abrange terras dos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro na Serra da Mantiqueira a uma altitude que varia de 1.400 a 2.787 m.




O nome Visconde de Mauá homenageia Irineu Evangelista de Sousa, barão e depois visconde, que recebeu as terras da região em 1870, como concessão do governo imperial para exploração de madeira, que seria transformada em carvão vegetal. Em 1889, ainda no Império, seu filho, Henrique Irineu de Souza, instalou nas terras um núcleo colonial, formado por famílias de imigrantes europeus. A iniciativa fracassou e a maior parte dos colonos retornou aos países de origem. Em 1908 o governo federal compra as terras de Henrique e cria o Núcleo Colonial Visconde de Mauá, segunda tentativa de receber colonos europeus. Este núcleo acaba extinto em 1916.

(gravura do visconde em 1884)

Algumas famílias alemãs permaneceram em Visconde de Mauá e, a partir da década de 1930, começaram a receber parentes e amigos vindos da Europa, iniciando a atividade turística na região. Nos anos 60, era famoso o Hotel Casa Alpina, hotel pioneiro junto com o Hotel Bühler. Na década de 1970, a vila de Maromba foi descoberta pelos hippies e, a partir dos anos 1980, começou a se tornar um dos destinos de montanha preferidos de turistas do Rio de Janeiro e São Paulo.




- Irineu Evangelista, o visconde de Mauá, nunca esteve na região que hoje leva seu nome.

- A região de Visconde de Mauá é dividida em três vilas: Maromba, Maringá e Visconde de Mauá propriamente dito.

- O principal rio da região de Visconde de Mauá é fronteira natural dos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.




O clima é classificado como tropical de montanha com inverno rigoroso e verão suave. No inverno, de junho a agosto, a temperatura varia de - 2 a 13 ºC e não costuma chover, não é raro gear. No verão chove com mais freqüência, principalmente chuvas vespertinas, a temperatura varia de 8 a 27 ºC.



Há opções para todos os gostos! Além das pousadas no centro da cidade, há a opção para quem procura um lugar mais tranquilo e calmo no campo.

Um bom site para pesquisar sobre hospedagem se encontra neste link:




Para viajar a dois, prefira o inverno, quando as baixas temperaturas são perfeitas para programas românticos, como um jantar regado a vinho ao lado da lareira. Para curtir as cachoeiras, o verão é a estação mais indicada, pois a temperatura local e a das águas está mais acessível para banho e as cachoeiras estão mais cheias.




Trajes de banho é essencial para quem quer aproveitar as cachoeiras, além de protetor solar. Repelente também é interessante levar apesar das vezes em que estive lá não vi muitos mosquitos. Não esqueça sempre de colocar um casaco na mala, pois mesmo no verão pode fazer frio de noite.




O principal acesso para a região de Visconde de Mauá é pela Rodovia Nova Dutra no km 311 entre as cidades de Resende(RJ) e Itatiaia (RJ).


  1. RJ - Para quem vem da cidade do Rio de Janeiro, prossiga pela Avenida Brasil para sair na Rodovia Nova Dutra. Da cidade do Rio de Janeiro até Visconde de Mauá são 210 km e leva-se em média 2hs e 40 min de carro. Para quem vem do Rio de Janeiro o km 311 fica logo depois da cidade de Resende (RJ) e antes da cidade de Itatiaia (RJ).
  2. SP - Da cidade de São Paulo até Visconde de Mauá são 310 km, leva-se em média de 3,5 a 4 hs de viagem de carro. Você pode pegar a Rodovia Nova Dutra desde São Paulo no fim da marginal Tiete. Outra opção de saída de São Paulo, é pela Rodovia Carvalho Pinto e pegar a Nova Dutra somente em Taubaté no Km 129.

Saindo da Rodovia nova Dutra, você entra na Rodovia Coronel Tramujas Mader e mantendo-se na preferencial a serra para Visconde de Mauá começa em seguida.

Após subir a serra por cerca de 27 km, chega-se na vila de Visconde de Mauá, seguindo por mais 5 km em estrada (agora asfaltada), chega-se a Maringá e por mais 3 km em estrada de terra chega-se a Maromba.

(mapa com os atrativos da região)








Apesar do tempo de viagem, não é uma das mais cansativas que se pode ter. O lugar em si compensa qualquer tempo na estrada. Eu indico o mínimo de 3 dias para visitar Visconde de Mauá.

Esta região é muito caracterizada pelas cachoeiras, todas com boa sinalização e muitas delas são próximas entre si, levando cerca de 10 minutos caminhando de uma a outra em alguns casos. 

Fiquei hospedado em uma pousada muito indicada para casal, pois até o nome é sugestivo, Pousada Amor Perfeito. O dono é um senhor muito simpático mora em uma casa próximo aos chalés e faz um café da manhã caseiro e delicioso com algumas receitas próprias (o pão de queijo é sensacional!!!). O chalé Sonho de Mel o qual fiquei hospedado é muito charmoso e também é muito completo, tendo hidromassagem, lareira, TV, DVD, microondas, fogão, geladeira, cafeteria e uma varanda com a vista de Visconde de Mauá linda, ótimo para apreciar o nascer do Sol.

Enquanto ele não nascia, deu para apreciar a lua no céu, que coisa linda!!



Já estava ansioso, era hora do Sol começar a nascer e ele veio de maneira triunfal entre as montanhas.



Nunca imaginei que da varanda de uma pousada eu veria um nascer do Sol tão bonito.

(nascer do Sol visto da varanda da pousada)

Cabe uma última foto? Espero que sim. =)



Para mais informações sobre a pousada, segue o link:

Voltando para os atrativos de Visconde de Mauá, fui visitar as cachoeira da região e a primeira que visitei se chama Cachoeira do Poção, localizada na Maromba. É um poço de 7 metros de profundidade e tem uma pedra ao lado em que dá para fazer um salto de 6 metros aproximadamente. Apesar de ter medo de altura fui me aventurar e confesso que foi bom demais, tirando o fato da água estar MUITO gelada.

(Cachoeira do Poção)

Ali bem perto desta cachoeira tem uma barraquinha que vende alguns doces como brigadeiro e eu provei um delicioso bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Huuummmm.... super indicado!

Depois de ficar um tempo pulando e curtindo os momentos de sol, resolvi caminhar para outra cachoeira, que é o cartão postal de Mauá e que concorre com esta na lista de melhores atrativos de Mauá.

A Cachoeira do Escorrega como o próprio nome sugere, é na verdade uma pedra em forma de escorrega na qual é só sentar e se deixar levar pelo fluxo de água. É outra atividade que faz você se sentir em um parque aquático natural.

(Cachoeira do Escorrega em um fim de semana)

Não pude deixar de me aventurar nessa!

(Cachoeira do Escorrega)

Para quem tem medo de se machucar, segue um vídeo provando o quão tranquilo é se aventurar neste tobogã.



Próximo a esta cachoeira existe uma espécie de feira hippie com alguns apetrechos que para quem gosta vale a pena comprar, pois não sai nada caro. Também perto dali existem algumas lojinhas pequenas com alguns artigos exotéricos e até uma loja com jogos diferentes dos quais estamos habituados a ver na cidade, porém são igualmente interessantes para conhecer e adquirir.

Após passar algum tempo por lá, fui novamente caminhar em direção a Cachoeira Véu da Noiva, uma cachoeira que tem uma mata um pouco mais fechada comparada as duas de cima e de aproximadamente 15 metros de altura.

(Cachoeira Véu da Noiva)

Vale lembrar que estas três cachoeiras principais de Visconde de Mauá não se paga para a visita!!!

Assim termina o primeiro dia que eu classifiquei como "o dia das cachoeiras".

Após uma ótima noite de sono, acordei cedo para partir para o ponto mais alto de Visconde de Mauá, a chamada Pedra Selada com 1.755 metros de altitude. Ela fica situada no Parque Estadual da Pedra Selada.

(logo do parque)

Não é tão simples assim chegar até o local e aconselho a pedir informações aos moradores da região. A estrada é de terra mas não está ruim para seguir de carro. Não confunda o pico com o povoado de Pedra Selada, pois existe um placa subindo ainda para Visconde de Mauá com este nome. Não siga por lá pois irá dar uma volta imensa até chegar no pico. O melhor é chegar em Mauá e dali seguir até o local.

(placa informativa)

A principal trilha começa na fazenda do Sr. Alcebíades, situada a 12 km após o lote 10 em Visconde de Mauá. Chegando ao local do começo da trilha, este senhor que cuida da região e costuma cobrar 5 reais para subir até o pico e mais 10 de estacionamento. Quando cheguei lá por algum motivo o cara não me cobrou nada para subir, que sorte não!?

(foto do Sr. Alcebíades gentilmente cedida pelo amigo e fotógrafo Felipe Barbosa)

A trilha tem em torno de 2.500 metros de extensão e demora-se cerca de 2 horas para chegar até o cume. Indico que levem comida e bebida para não ter problemas durante a trilha. Para quem tem bom preparo se consegue fazer em menos tempo e para quem não tem, é possível descansar em alguns pontos da trilha onde existem bancos e mesas feitos de madeira, uma maravilha!

(Pedra Selada vista da fazenda do Sr. Alcebíades)

O começo da trilha se dá em um pasto íngreme com algumas vacas no caminho e suas respectivas fezes no chão. Andando por cerca de 30 minutos a vegetação começa a mudar para árvores e a mata fica mais fechada, o que foi um alívio neste dia de sol escaldante.


(vista da Pedra selada ao adentrar na mata densa)

Assim percorremos por mais 15 minutos e chegamos a duas cachoeiras próximas uma das outras no caminho, ótima pedida para se refrescar!



Após uma longa caminhada chegamos finalmente ao pico, com uma visão 360 º de toda a região.


(fotos panorâmicas de cima da Pedra Selada)

Chegando no cume, existe um livro para assinar, porém não tinha papel nem caneta, então deixa para uma próxima vez né!? O jeito era registrar a vista ao redor.




Contemplar esta vista não tem preço! #lifeaholic



Depois de ficarmos um tempo lá resolvemos voltar e já no final da trilha fomos abençoados com esta linda vista do pôr-do-Sol, que dia!!!



Com isso chego ao fim da postagem. Espero que tenham gostado!

Segue abaixo alguns outros atrativos em Visconde de Mauá:

- Cachoeira Santa Bárbara
- Cachoeira Toca da Raposa
- Cachoeiras do Alcantilado
- Cachoeira dos Macacos
- Cachoeira do Marimbondo

Até a próxima aventura!

10 comentários:

  1. Estava procurando um lugar para viajar e achei!
    E finalmente um blog bacana e com dicas bem legais. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Felipe!! Espero sempre surpreender com um destino e espero que continue vistando o blog.
      Grande abraço!

      Excluir
  2. Parabéns....adorei as informações e fiquei com muita vontade de conhecer!!!!
    Uma bela idéia do lugar para quem não conhece!!!!Perfeito!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Raquel!! Vou tentar sempre divulgar um lugar para que todos possam conhecer e um dia visitar. Tentarei sempre postar novidades e espero que goste.
      Beijos!

      Excluir
  3. Que lugar lindo!!! Quando for ao RJ irei conhecer!!! Parabéns pelo blog! Estou ansiosa para saber qual é o próximo destino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por gostar do post Aline. Este lugar é muito bom para curtir com os amigos e a dois. Vá visitar um dia que não irá se arrepender.
      Beijos!

      Excluir
  4. Parabéns!!! Ficou show! Amei a descrição e as dicas! Quero conhecer!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá conhecer sim Mariane!! É um lugar bastante aconchegante e tenho certeza de que irá gostar.
      Beijos!

      Excluir
  5. Muito Bacana Jovem, Parabéns pela iniciativa e conteúdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Felipe!! Espero continuar surpreendendo com os destinos e trilhas pelo Brasil e quem sabe em países afora.
      Grande abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...