abas2

Abas

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Caraíva

(Fonte: Google)


Caraíva é uma comunidade litorânea e ribeirinha situada entre o rio Caraíva, o Oceano Atlântico e o Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal, na costa do descobrimento, no extremo sul do estado da Bahia, Nordeste do Brasil. Trata-se de um distrito no município de Porto Seguro ao Sul da Bahia com sua população de cerca de 1000 habitantes. Caraíva é porta de entrada para o Parque Nacional do Monte Pascoal (ponto que marca a chegada dos portugueses ao Brasil) e também da Reserva Indígena Pataxó.

(limites do Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal)


As principais atividades realizadas são a pesca e o artesanato, em que são produzidos objetos de madeira e coco, geralmente criados pelos índios Pataxós. A infraestrutura turística do local é adequada, possui pousadas e restaurantes que servem desde comidas tradicionais da culinária baiana à pratos sofisticados internacionais. 


Por ser uma Zona de Reserva Extrativista Marinha – RESEX – os pescadores de Caraíva precisam respeitar leis que determinam normas, épocas e formas de se pescar. Caraíva é também uma APA – Área de Preservação Ambiental – e por isso está sujeita a normas de preservação e defesa do meio ambiente.




Segundo documentação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), disponível no Museu do  Descobrimento em Porto Seguro, a comunidade de Caraíva é o vilarejo mais antigo do Brasil. Os primeiros Portugueses chegaram por volta de 1530, e por aqui viviam diversas tribos indígenas, a região é conhecida como “Costa do Descobrimento”. 

(Fonte: Google)

Durante muitos anos a comunidade viveu da pesca, que precisava ser salgada e transportada em lombo de mulas ou barcos até as cidades vizinhas para a venda. Até início do século XX também trabalhavam com a exploração de madeira. Na década de 1970 a vila vivia exclusivamente da pesca e foi nesta época que grupos de aventureiros começaram a frequentar o lugar. 

A estrada para chegar até o vilarejo era muito precária e nela quase não transitavam carros. Para chegar a Caraíva era preciso caminhar pela praia saindo de Trancoso, ou fretar um barco de pesca. Com o movimento de visitantes crescendo, a vila foi se adaptando. Ainda na década de 70 chegaram os primeiros motores para os barcos, que até então eram movidos por velas. 

Ecologicamente preservada, Caraíva beneficia-se de diversas proteções ambientais e históricas: Área de Proteção Ambiental Caraíva-Trancoso, Zona de Reserva Extrativista Marinha (RESEX), Patrimônio da Humanidade da UNESCO, Zona de Proteção Rigorosa do IPHAN e Zona de entorno do Parque Nacional e Histórico de Monte Pascoal. Desde 1962, quando foi demarcado o Parque Nacional de Monte Pascoal, a vila é o limite norte do Parque. Dentro do parque está a aldeia Pataxó que ajuda a cuidar da Parque Nacional de Monte Pascoal. 

(Fonte: Google)

Em 2007 chegou a energia elétrica na Vila de Caraíva. Com o empenho da população a Vila resistiu e não admitiu a colocação de postes. Toda a fiação é subterrânea para não interferir na paisagem. Cada morador ilumina a sua porta como lhe convêm, luzes em árvores ou na porta das casas, iluminam apenas o suficiente para as noites de lua nova.




- O Parque Nacional de Monte Pascoal está a 6 km da vila de Caraíva.

(Monte Pascoal - Fonte: Google)

- À 9 km de Caraíva está uma das praias mais bonitas do Brasil, a praia do Espelho. É possível visitá-la à pé, mas lembre-se que são 9 km sob o sol forte da Bahia na areia e à noite não há barqueiros para voltar.

(Praia do Espelho - Fonte: Google)

- Em Caraíva ainda não há rede elétrica, bancos e nem automóveis. As ruas da região são de areia.

- A Igreja de São Sebastião foi construída com óleo e ossos de baleia, além de conchas, pedras e areia, é tombada pelo patrimônio histórico.


(Igreja de São Sebastião)



O clima é tropical, com sol forte quase o ano todo. A temperatura média anual fica perto dos 25º C, chegando a picos de 40º C no verão e 21º C no inverno.




Há hospedagem para todos os gostos. Existem campings, casas para alugar e pousadas. Seguem os links abaixo referente a cada uma das hospedagens:


  1. Pousadas -> http://www.caraiva.com.br/opcoes-de-hospedagem/
  2. Casas de aluguel de temporada -> http://www.caraivabahia.com.br/casaCaraiva.htm
  3. Campings -> http://www.camping-camping.com.br/2011/01/camping-em-caraiva-ba.html



Qualquer época do ano é boa para visitação em Caraíva, pois a região do sul da Bahia tem chuvas bem distribuídas ao longo do ano. Isso significa que você provavelmente vai pegar sol e chuva em qualquer época. 

OBS.: Em Caraíva não há bancos nem caixas eletrônicos, portanto leve seu dinheiro em local seguro para utilizar na vila.




É indispensável levar os trajes de banho, mas não esqueça de levar também protetor solar, óculos escuros, roupas leves, lanterna, protetor solar e repelente.





Existem duas principais maneiras para se chegar em Caraíva:


- De carro:

Tanto para quem vai pelo sul ou norte da Bahia até Caraíva deve dirigir pela BR-101 até o km 769 e entrar à direita  para  entrar no Povoado de Monte Pascoal e seguir 43 km de estrada de terra até chegar em Nova Caraíva. Dali estacione seu carro e pegue uma canoa que atravessa o rio Caraíva para chegar na vila de Caraíva.
OBS.: Esta região do sul da Bahia está a quase 800 km da capital, Salvador, ou cerca de 9 horas de viagem. De São Paulo a distância é de 1.400 km. 


- De ônibus

A partir de Porto Seguro, o viajante deve cruzar a balsa para Arraial D’Ajuda, e dali pegar uma linha local com destino à Caraíva (viação Água Azul). As balsas de Porto para o Arraial saem a cada 30 minutos.

Diariamente:

- Porto Seguro/Caraiva: 7:00 e 15:00 hs. (preço da passagem: R$ 17,00)
- Caraiva/Porto Seguro: 6:20 e 16:00 hs

Maiores informações da Viação Águia Azul (73) 3668-1347 / 3575-1170








Caraíva é um daqueles lugares lindos do sul da Bahia que não são tão conhecidos e nem são tão frequentados como outros pontos turísticos da Bahia. Acredito que por isso o lugar se torne mais especial para visitação. Trata-se de uma vila pequena com lindas praias e existem alguns passeios para se fazer na região.

(mapa de Caraíva)

Começo de viagem fomos de carro pela BR-101. Era um bom chão até Caraíva do Rio de Janeiro, mas não seria a distância que ia impedir a gente de conhecer um lugar desses né!? Então vamos dirigir!!!



No meio da estrada tinha um caminhão transportando um caixa eletrônico, será que dava para retirar dinheiro?? =)



Primeiro dia dormimos no norte do Espírito Santo na casa de uma amiga nossa e acordamos cedo para chegar em Caraíva. Depois de algumas horas na estrada de asfalto e terra chegamos no local e estacionamos o carro em um estacionamento privado em Nova Caraíva, onde era cobrado uma diária de 10 reais. O estacionamento cabia bastante carro, então mesmo sendo em uma época de final de ano, conseguimos achar vagas sem nenhum problema. 

Na travessia do rio é cobrado um valor de R$ 2,50 por pessoa. A travessia é feita por pequenas canoas e não demora mais que 2 minutos para se chegar a outra margem.

(jangadas de transporte no rio Caraíva)

Era hora de andar e procurar um lugar para ficar, mas não sem antes apreciar o rio Caraíva. 

(rio Caraíva)

Andamos mais um pouco pela areia e encontramos o camping Caraíva com um bom espaço e ótimo preço. Acredito que era o único camping que dava vazão para as pessoas que chegavam em Caraíva, mas também vale a pena conferir algumas pousadas no local, pois pareciam bem bonitas e confortáveis.

Não demoramos em armar as devidas barracas para conhecer a praia. Ao chegarmos encontramos esta vista magnífica.

(praia de Caraíva)

O Sol estava um pouco forte na hora e resolvemos descansar um pouco nas sombras. Achamos um gramadinho ótimo em frente a praia para descansar.




Descansamos um pouco da viagem longa e logo em seguida fomos curtir a praia e também fomos no encontro do rio Caraíva com o mar.

(foz do rio Caraíva)

A verdade é que muitas pessoas ficam neste lugar porque existem alguns restaurantes que atendem os turistas na beira da praia. 

Aproveitamos a praia até o final da tarde e ficamos sabendo que iria ter uma celebração dos índios neste dia para a chegada da lua cheia, que segundo eles iria nascer as 18 h. E não é que a lua nasceu exatamente neste horário!? A lua nascendo no mar é uma coisa de outro mundo!!! Até o cão que estava ali na praia parou para contemplar este evento.



Conforme foi escurecendo, a lua foi ficando de um tom alaranjado para um tom amarelado. Nunca tinha visto nada igual.



Nada melhor do que sentar na areia e apreciar esta maravilha né!? Ótimo momento para um romantismo a dois.



Apesar de infelizmente não ter ainda uma câmera de qualidade, acredito que deu para mostrar um pouco como era a lua de Caraíva, algo surpreendente e fantástico. Mas juro que da próxima vez eu comprarei uma câmera decente que possa capturar um momento desses.

Voltamos para a celebração dos índios que estavam lá. Momento de fazer fogueira e verificar a veneração dos índios pela lua cheia. 



No fim do dia estávamos exaustos (praia cansa!!). Então fomos dormir e recarregar as baterias para o próximo dia.

Depois que acordamos fomos andar de caiaque rio acima. Também é uma ótima atividade para coordenação motora. Alugamos o caiaque para duas pessoas por 50 reais a hora e fomos desbravar o rio. Logo vimos que não era fácil remar contra a corrente e fomos em zigue-zague. Ali vi que não tenho coordenação para este tipo de coisa, o jeito mesmo era tirar uma foto para registrar....hahaha



Remamos por mais alguns instantes até encontrarmos um banco de areia, deixamos o caiaque lá e fomos tomar um banho de rio e aproveitar o sol e o calor que não estava fácil não.



Ficamos bastante tempo no rio até voltarmos para o local do aluguel, que fica quase na foz do rio. Depois fomos turistar pela vila andando pela areia. Vimos que a cidade é bem estruturada e charmosa, nada de postes, carros, transito das grandes cidades....perfeito!!!

Encontramos esta igreja bem simples e bonita, a Igreja de São Sebastião, uma das igrejas mais antigas do Brasil.

(Igreja de São Sebastião)

Um curiosidade do local era o açaí com creme de cupuaçú. Nunca tinha tomado e o sabor é realmente espetacular!!! Infelizmente não me atentei em tirar uma foto para mostrar aqui no blog, mas não esqueçam de tomarem lá. Enquanto estávamos esperando, uma pessoa que não conhecíamos sentou ao lado de um de nossos amigos aventureiros, será que ele queria fazer amizades? Não perdi tempo e logo tirei uma foto do nosso novo amigo.... hahahha.



Brincadeiras à parte, conhecemos um pouco mais de Caraíva a noite também. Existem algumas lojinhas boas para se comprar presentes. A noite de Caraíva também é animada e existem lugares em que se toca samba, lugar para se dançar forró, ou seja, opções para todos os gostos. Resolvemos descansar um pouco porque o próximo dia seria de muita caminhada, não sem antes tomarmos uma cerveja geladinha e comer uns pastéis.



Em nosso terceiro dia fomos visitar a famosa Praia do Espelho, considerada uma das praias mais bonitas do Brasil. Nos preparamos levando bastante comida e água para aguentarmos o sol e calor nestes 9 km que nos aguardavam. Acordamos cedo, atravessamos o rio e fomos caminhando pela praia.



Encontramos no caminho cada visual do lugar que dava vontade de parar e aproveitar.



Não dava para aproveitar muito tempo mas isso não impediu de tirarmos uma foto antes de retomarmos a caminhada.



Por fim deixamos a praia a fomos andando pela praia. Era realmente uma boa caminhada até lá.



Após andar um bom pedaço (cerca de 3,5 km), chegamos na praia do Satu, uma praia onde a areia é um pouco mais escura, porém não se trata de poluição e sim de minerais que se misturam a areia fina.

(Praia do Satu)

Satu é o nome do morador dessa praia, que adora contar histórias e acabou tornando-se uma atração local. Ao longo desta praia também existem algumas lagoas de água doce para se banhar.

(Lagoa do Satu)

Amito que foi convidativo se banhar ali, mas estávamos ansiosos para chegar na praia do Espelho e então apenas tirei registro deste belo lugar. Depois caminhamos praticamente até o final da praia. 

(praia do Satu)

Agora era hora de subir a falésia para continuar o percurso. Subimos em um local que parecia ser uma propriedade particular, mas como não tinha ninguém, resolvemos atravessar o rio e seguir em frente.




Na subida uma bela visão da praia que mereceu uma foto panorâmica 

(praia do Satu)

Chegando em cima observamos a praia de cima e o visual da praia do Satu era demais.


(vista em cima da falésia da praia do Satu)

Coisas que só o sul da Bahia oferecem. #lifeaholic

(vista de cima da praia do Satu)

Mais uns minutos andando e finalmente começamos a chegar na praia do Espelho!!

(praia do Espelho)

A praia do Espelho tem este nome devido a em algumas épocas do ano em maré baixa, a água fica transparente e reflete o céu como se fosse um espelho. Este lugar é muito frequentado por artistas e famosos do Brasil. Existem pousadas muito bonitas no local e bem a beira da praia, uma ótima opção para quem gostaria de desfrutar de conforto naquela praia e para quem realmente pode gastar uma grana alta. Também existe a opção de ficar no Condomínio Curuípe, que fica acima das falésias.

A praia é bastante extensa e bonita, realmente um ótimo atrativo.



Paramos finalmente de caminhar e fomos almoçar nos restaurantes ali perto. A comida era gostosa, porém o preço da comida era caro, talvez por também ser alta temporada. 



Depois do almoço fomos descansar a beira da praia nas sombras das amendoeiras. Ali mesmo na praia existem umas espreguiçadeiras que era inevitável não querer deitar e tirar um cochilo após uma longa caminhada e o almoço. O relaxamento era total!!!



Ali estava tão bom que ficamos por volta de 2 hs descansando. Depois ainda fomos andar pelo restante da praia até o final da falésia e no caminho encontramos a famosa maria farinha.

(maria farinha)

Ao chegar no final da falésia descobrimos que existe outra praia mais escondida, não sabemos o nome mas sabemos agora que também é um ótimo local para se conhecer e relaxar.



O Sol já estava baixando e tínhamos que retornar para Caraíva. No caminho de volta encontramos uma placa muito bem bolada que valeu o registro.



Além disso, encontramos uma caravela no caminho de volta, sinal que devemos todos tomar cuidados nestas praias.

(caravela)

Já era quase o pôr do sol e a praia estava realmente bonita na volta.



Era tarde para aproveitarmos a volta com Sol, mas o pôr do sol valeu a pena olhar entre a mata.



Voltamos grande parte do caminho às escuras, ou melhor, sob a luz da lua cheia que clareou bastante a praia. Também levamos lanterna justamente para estes casos, o que não foi preciso.

Depois de uma boa caminhada estávamos cansados e ficamos com receio de atravessar o rio a noite, pois poderia estar muito fundo por causa das marés. Para a nossa sorte tinha um barqueiro por ali e que fez o translado cobrando 8 reais por pessoa. Neste tempo não tinha nada melhor que apreciar a lua iluminando o mar.



A lua realmente nos deu um show a parte nesta viagem. Sempre nascendo amarela (muito amarela!!!) no mar e depois ficando branca conforme ia subindo aos céus.



Era hora de jantar por Caraíva, descansar as pernas e aproveitar um pouco da noite local. Fomos em uma festa rolando perto da praia onde tocava forró e outras músicas. Estávamos quase na virada do ano e tínhamos que aproveitar as últimas noites em Caraíva.



Não tardou muito e logo bateu o cansaço, era hora de descansar para o próximo dia. O dia seguinte teria que ser um passeio light e então resolvemos ir até a Ponta do Corumbau.

Localizado no extremo sul da Bahia, Corumbau (ou Ponta do Corumbau) é Distrito da cidade de Prado e fica situado a cerca de 80 km de Trancoso. Devido ao seu difícil acesso, as praias e belezas naturais da Ponta do Corumbau se mantêm completamente preservadas. Além do encontro do rio Corumbau com o mar e da ponta de areia que adentra o oceano por cerca de 500 metros formando belíssimas piscinas naturais na maré baixa, a Ponta do Corumbau possui mais de 15 km de praias de areias brancas e mar com tons esverdeados, cercadas de lindos coqueiros e amendoeiras. É muita beleza em um só lugar!

 Optamos pelo passeio de buggy até lá que custava 50 reais por pessoa. Hora de passear!!



Andando de buggy são cerca de 13 km passando por uma estrada de areia e pela praia até a foz do rio Corumbau. 



De lá você deixa o buggy, combina uma hora para retorno com o guia e parte para atravessar o rio numa canoa. A travessia custa 10 reais por pessoa (ida e volta) e não dura nem 10 minutos. 

(rio Corumbau)

Após cruzar o rio caminhamos por alguns metros pela praia até a Ponta do Corumbau. Antes disso atravessamos outro rio pequeno a pé com a altura das águas até o joelho.



Assim que chegamos perto da ponta, vimos que a cor da água era bem clara e não tinha ondas.

(Ponta do Corumbau)

Pronto, chegamos na Ponta do Corumbau, mas será que acabou? Não! O caminho era longo até chegar na extrema ponta deste lugar e tivemos que andar um bom pedaço ainda na areia, pois a faixa de areia era extensa e larga com cerca de 500 metros como a foto abaixo.

(início da Ponta do Corumbau)

Era cada paisagem que parecia um pedaço do paraíso.

(Ponta do Corumbau)

Finalmente chegamos na extrema Ponta do Corumbau e lá tinha um pescador solitário, cena perfeita para uma boa foto.



O pescador sem saber era o modelo para compor a cena da foto.



Era hora também de fazer o registro do grupo.



Águas claras e vida difícil se resume este lugar.



Devia existir algum cardume por perto devido ao número de gaivotas na região que sempre buscavam algum tipo de comida no mar.



Mas nem tudo eram flores e ao olharmos para trás, vimos que o tempo estava mudando e iria nos afetar a qualquer momento.



Tentamos voltar rapidamente, mas não teve jeito e pegamos uma chuva de verão, ou melhor, tempestade de verão. Corremos para os restaurantes de beira de praia que eram cobertos e aproveitamos para comer um pouco, pois já era hora de almoçar. O prato era bem servido e a comida era bem gostosa, mas o preço ainda sim era um pouco salgado, girando em torno de 50 reais por pessoa.

Enquanto fomos comendo a chuva ia passando e logo o Sol retornou. Ótima hora de deitar na areia e relaxar do almoço. Afinal tínhamos que esperar até a hora combinada e então relaxamos na areia e na água também, pois a água era quente e ficava até a cintura. Para mim que não fazia idéia que existia um lugar como esse, foi realmente uma ótima surpresa conhecer este lugar.



Perto do horário de volta caminhamos para o rio Corumbau, atravessamos o rio de canoa e esperamos o buggy chegar. Neste meio tempo havia uma criança brincando na margem do rio e como não tinha nada para fazer, resolvi registrar o momento alegre da criança.



Hora de voltar para Caraíva, afinal hoje era noite de reveillon e tínhamos que estar bem descansados. Assim que voltamos comemos em um dos restaurantes de lá e ficamos até o pôr do sol ali perto do rio, onde havia uma crianças nativas brincando no mangue. mas o pôr do sol de Caraíva estava caprichando hoje.



Pela noite fomos até a praia assistir os (poucos) fogos e pular as tradicionais 7 ondinhas.



Hora de entrar na festinha que tinha perto da praia e curtir a noite alegre.



Era o último registro de uma viagem sensacional e surpreendente. Este lugar com certeza dará boas lembranças a quem visitar e certamente gostaria de voltar lá um dia, mas já era hora de voltar para casa.


Com isso chego ao fim da postagem. Espero que tenham gostado!




Até a próxima aventura!

8 comentários:

  1. Lugar lindo! Show! Fiquei doida para conhecer...

    ResponderExcluir
  2. Visite lá Mariane, é um ótimo lugar para quem deseja conhecer praias bonitas e sair da vida agitada das cidades.

    ResponderExcluir
  3. Nossa q lugar lindooooooooo..sem fim!!! adorei.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bonito mesmo!! Dos lugares desse Brasil que nem conhecemos direito e que são lindos e ainda preservados, Caraíva certamente é um desses lugares.

      Excluir
  4. Eu já queria ir. Agora eu irei, com certeza.
    Valeu! Publicação fantástica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai que é um lugar lindo e tranquilo. Na minha opinião não tem como não gostar de Caraíva, principalmente se for fora de época.

      Excluir
  5. Amei as dicas, estou de passagem compradas para passarmos 20 dias em Caraíva e região e claro, precisamos de dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Eni. Espero ter ajudado nas suas dúvidas e boa viagem!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...