abas2

Abas

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Paraquedismo em Resende




O paraquedismo (pára-quedismo) um esporte que é praticado por paraquedistas que saltam de aeronaves, ou lugares fixos (base jumping), fazendo uso de um pára-quedas (invólucro contendo uma vela dobrada desenhada a desdobrar-se aumentando sua superfície de contato com o ar) para diminuir sua velocidade de queda, sendo possível realizar saltos de grandes altitudes sem sofrer danos corporais.

Esta atividade é realizada em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, o paraquedismo é realizado principalmente no Aeroporto de Resende, localizado na cidade de Resende, região Sul do estado do Rio de Janeiro, Brasil. O aeroporto serve como base para o "Aeroclube de Resende" e para o "Clube Skydive Resende" de pára-quedismo, que é administrado pela prefeitura do município.

(Aeroclube de Resende - Fonte: Google)


O Aeroporto de Resende ainda é autorizado para operar com aeronaves de até 50 passageiros. Ele conta com pista asfaltada de 1.300 metros, pátio de estacionamento para aeronaves e terminal de passageiros.




Os primeiros registros dos primórdios do paraquedismo são de 1306, onde acrobatas chineses se atiravam de muralhas e torres empunhando um dispositivo semelhante a um grande guarda-chuva que amortecia a chegada ao solo.



Considerado um dos precursores do paraquedismo, Leonardo da Vinci fez um esboço em 1495 baseado no voo dos pássaros no qual dizia: "Se um dia alguém dispuser de uma peça de pano impermeabilizado, tendo os poros bem tapados com massa de amido e que tenha dez braças de lado, pode atirar-se de qualquer altura, sem danos para si".



Já no século XVIII, muitos cientistas realizavam performances saltando de prédios com equipamentos, até que em 1797, Andre-Jacques Garnerin, salta de um balão em Paris a uma altura aproximada de 2.000 pés, sendo este um feito histórico. Garnerin prosseguiu saltando regularmente até que em 1802, Garnerin salta a 8.000 pés em Londres, um recorde para a época. Devido a este feito ele foi considerado o primeiro paraquedista do mundo. 



Em 1837, porém, ocorre o primeiro acidente fatal com um paraquedista, quando Robert Cocking falece em razão do impacto contra o solo. Cocking saltava com um paraquedas com o desenho de um cone invertido que se mostrou inadequado, pois não resistiu à pressão e fechou.

No Brasil, o paraquedismo se deu somente em 1931, no Aeroclube de São Paulo, onde Charles Astor atuou sozinho formando alunos pelo Brasil e sendo o maior incentivador do paraquedismo no Brasil. Já em 1941, no Campo dos Afonsos/RJ, aconteceu o primeiro salto coletivo na América do Sul, realizado por 12 alunos de Charles Astor.

Em 1962 foi fundada a Federação Brasileira de Pára-quedismo e que por meio de uma Assembléia Geral foi dissolvida em 30/03/1963 e criada a Comissão de Organização da UBP (União Brasileira de Pára-quedismo) com o intuito de definir objetivos da nova entidade, sua estrutura e sua filiação aos órgãos máximos do esporte nacional e internacional. A UBP funcionava como órgão gestor nacional nas quais os clubes eram filiados.

Reconhecida pelo DFN, a FKU realizou o primeiro campeonato brasileiro de paraquedismo em 1964 na cidade de Campina Grande - PB em que se sagrou campeão Luiz Olintho Teixeira Schirmer. Paralelamente também no meio militar o paraquedismo se desenvolvia como esporte tendo as competições com os civis contribuído muito para o seu crescimento.

As atividades desenvolvidas nos anos 1963 e 1964 culminaram com o envio da primeira delegação brasileira de pára-quedismo ao 7° Campeonato Mundial organizado pela FAI em 1964 na Alemanha Ocidental (RFA) e permitiram a perpetuação do pára-quedismo esportivo brasileiro superando definitivamente as barreiras oficiais e burocráticas até então existentes.

Foram criadas as 3 primeiras federações (Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro) e assim em 1975 a UBP transforma-se em CBPq (Confederação Brasileira de Pára-quedismo).

(Confederação Brasileira de Pára-quedismo)




- Mesmo classificado como esporte, o uso do paraquedas já teve ações muito negativas relacionados a ele. O maior exemplo foi em 1941, quando o exército alemão empregou o seu uso como equipamento de guerra, lançando militares para conquistar a ilha de Creta. O único ponto positivo do uso do paraquedas em guerras, foi o grande incentivo que ele recebeu em seu desenvolvimento, o que foi essencial para melhorá-lo e aprimorá-lo. Tanto que após as Segunda Guerra Mundial, o paraquedismo se desenvolveu em rápida velocidade, seja quanto aos equipamentos, técnicas de salto ou tipos de competição.


(uso de paraquedas pelo exército alemão)


- O ano de 1911 foi marcante para a história do paraquedismo, já que foi quando uma das maiores polêmicas em relação ao esporte ocorreu, pois tanto Grant Norton, que saltou com um paraquedas de seda dobrado em seus braços, quanto o Capitão Albert Berry, que foi com um paraquedas embalado em uma caixa de metal, declararam ser o primeiro homem a saltar de um avião. Até hoje há discordância sobre quem foi o primeiro. 

- Hoje em dia, existem nas competições várias modalidades para a prática do paraquedismo, sendo a mais popular a formação em queda livre, onde um grupo de paraquedistas realiza o maior número de formações possíveis durante a queda. Outras modalidades para competição no pára-quedismo são:

Skysurf – o atleta surfa pelo céu. É um salto em dupla (skysurfer e o câmera).
Freefly – considerada a mais radical, o atleta realiza manobras com o próprio corpo, como piruetas, cair de cabeça para baixo, etc.
Estilo – salto a 7 mil metros no qual o atleta realiza seqüência de quatro curvas de 360° para os dois lados e dois loopings. É avaliado o tempo e os movimentos.
Precisão – salto a 3 mil metros com o objetivo de pousar no alvo de 25 metros de raio.
Cross Country – praticada em dias de vento forte, é como se fosse uma corrida.
Wing Fly – utilizando um macacão especial que segura mais o vento, nessa modalidade o atleta percorre grandes distancias (até 160 km/h em deslocamento vertical)
Freestyle – conhecido como ballet aéreo, nessa modalidade o salto é realizado em dupla (atleta e câmera) que interagem no salto. A qualidade da filmagem tem grande importância.
Base Jump – realizado apenas pelos mais experientes e radicais, nessa modalidade o salto é feito de pontes, prédios, etc. com um tempo de queda muito curto.

- No dia 14 de Outubro de 2012 foi realizado um projeto pela Red Bull (Red Bull Stratos), que envolveu o paraquedista e base jumper austríaco Felix Baumgartner. O projeto teve como objetivo quebrar vários recordes ao mesmo tempo e ajudar a contribuir em pesquisas científicas. Foram eles:

  1. Primeira pessoa a romper a barreira do som em queda livre (atingiu a velocidade de 373 m/s = 1,24 vezes a velocidade do som);
  2. O salto mais alto de todos os tempos (39.045 m de altitude);
  3. Maior distância vertical percorrida (36.529 m);
  4. O salto de paraquedas mais alto (39.045 m de altitude);
  5. A transmissão ao vivo de seu salto da estratosfera tornou-se o vídeo ao vivo com maior número de visualizações simultâneas: 8 milhões (pico).

(salto de Felix Baumgartner na Estratosfera - Fonte: Google)



O valor do paraquedismo (salto duplo) costuma variar de R$350,00 a R$500,00. Este valor costuma ser com direito a 10 fotos do salto selecionadas por você. As fotos são realizadas por uma câmera GoPro que fica acoplada na mão do instrutor e para conseguir todas as fotos e o vídeo do salto é necessário desembolsar em torno de R$100,00 a mais.

Ainda há a opção de ter uma terceira pessoa saltando junto apenas para fazer fotos do seu salto, o que aumenta o custo de R$150,00 a R$300,00 além do custo do seu salto duplo.




Os saltos são realizados nos finais de semana e feriados.




Para chegar a Resende, existem diversas maneiras, dependendo do lugar que estiver. Segue abaixo algumas distâncias das capitais até Resende.



- Carro: 

  1. São Paulo - a melhor opção é percorrer por aproximadamente 273 km a rodovia Presidente Dutra, ou BR-116. 
  2. Rio de Janeiro - a melhor opção seria também a Dutra, num trecho de 164 km. 
  3. Belo Horizonte - chega-se através da Rodovia Fernão Dias BR-381, entrando em Cambuquira (BR-267) até São Lourenço, onde deve-se pegar a BR-354 entrando em Engenheiro Passos. Depois deve-se seguir pela rodovia Presidente Dutra por aproximadamente mais 20 km. 
  4. Para outras partes do Rio de Janeiro, Resende também é servida pela RJ-161, RJ-163, RJ-151 e BR-485, BR-354. A entrada para a sede do município fica a 28 km da divisa do estado de São Paulo. Outras importantes vias de ligação da cidade com outros municípios, como: Arapei, Bananal e São José do Barreiro, é a Estrada Resende-Riachuelo. E com o município de Porto Real, além da Dutra, existe também a Estrada Resende-Bulhões.

- ônibus: Várias viações passam por Resende, como a Viação Colitur, Auto Viação 1001, Viação São Geraldo, Viação Cidade do Aço, Viação Resendense, Viação Bel-Tour, entre muitas outras. É possível encontrar ônibus para quase todos os estados brasileiros, como Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, Goiás e São Paulo.

- Avião: A Trip opera com um avião modelo ATR-42 com destinos para São Paulo e Juiz de Fora.

Existem outros lugares pelo Brasil que realizam o salto de paraquedas que podem ser encontrados no link: https://www.cbpq.org.br/site/areas-de-salto








Era uma vez 5 aventureiros que resolveram realizar a mais radical de todas as aventuras. Resolvemos comprar uma promoção que vimos no Peixe Urbano  (link: http://www.peixeurbano.com.br/) do salto de paraquedas a R$369,00. Além do salto, tínhamos direito a um CD com 10 Fotos. 

Assim que compramos, ligamos para a empresa que ia realizar o salto, a Paraquedismo Rio de Janeiro (link: http://www.paraquedismoriodejaneiro.com.br/) para o agendamento.

Era um sábado de sol, céu limpo, ótimo dia para realizar os saltos. Pegamos o carro e fomos em direção à Resende confiantes.

Demoramos um pouco a achar a pista de decolagem em Resende, pois não havia muitas placas indicativas e por isso é bom chegar lá em Resende cedo.

Logo que chegamos, fomos nos arrumando com as roupas próprias para o salto.




Grupo formado!!! Parecíamos mais um grupo de cenouras do que qualquer outra coisa...



Primeiro sinal de tensão!!! Hora de colocar o macacão e quase esmagar as partes baixas...rs



Hora das instruções!!! Primeiro meus amigos...



Eis que começa a chegar a minha vez. Nota-se que meu sorriso começa a amarelar...




Hora de receber instruções do salto. Até aquele momento eu estava até me sentindo um pássaro, tudo era festa!!!



Mas a hora estava chegando...



Não dava mais para desistir, o avião tinha chegado para o vôo.



Mas o grupo era destemido e como todo brasileiro diz: desistir jamais!!!



Já começávamos a sentir o vento das hélices. Dá para ver pelos meus longos cabelos esvoaçando...hehe.



E quando você faz aquela cara de.....posso desistir não?



Já era!!! o avião estava partindo...



Dentro do avião por sinal era só alegria. Muita gente descontraída jogando papo fora. Nem parecia que íamos pular de paraquedas.



Da janela dava para ter noção da altura que estávamos subindo. Alguém com medo aí?



Time to GO!!! Era hora de pular!!!



Antes, uma pequena demonstração de como seria. Imagina a sensação que deu na hora de ver alguém se atirando do avião. Nessas horas o meu batimento cardíaco devia estar altíssimo.



Era a minha vez. Hora de rezar para todos os deuses e crenças existentes no mundo.



Você qual é a sensação de estar no limiar entre o avião e o ar???? Pois é, eu acabei sabendo...



A hora mais difícil com certeza é a hora que você acaba de sair do avião. Cair num "vazio" é uma das sensações mais estranhas que já tive na vida. É como perder qualquer segurança que você teve um dia na vida. Este com certeza foi o momento crucial do salto.



E você olha para o chão e vê a cidade a muitos metros abaixo de você.



Como mágica, sua adrenalina fica nas alturas e o sentimento de estar "voando" começa a ser uma das melhores sensações que você teve na vida.



Nem parece que você está tenso. Agora tudo passa a ser alegria.



Você começa a querer aproveitar tudo e querer ver tudo a sua volta.



Então tudo começa a ficar bom. Tudo OK??



Estava me sentindo um cachorro muito doido no céu.



E aquela sensação de estar voando e de me sentir um pássaro!? Agora sim eu podia comprovar no treinamento.



"Olha para a câmera"



Uhuuuuulllll



Certamente eu diria nessas horas que era o Homem Pássaro!!!



Adrenalina estava a mil!!! Não havia sensação melhor naquele momento.



Um sorriso "bobão".



Tudo estava tão tenso, intenso, radical, emocionante, delirante, etc. que quando o paraquedas foi acionado a sensação foi de grande alívio!!! Não por ter acabado a adrenalina, mas por saber que agora dificilmente eu iria morrer.....hahaha



Sabe aquela sensação de agradecimento???



Êxtase. Mais um prazer adicionado para este momento.



Era hora de olhar com mais calma o que estava logo abaixo.



Hora de controlar o paraquedas para retornar à pista de pouso.



Ou de brincar mais um pouco de voar né!?



Chegando ao solo a adrenalina ainda estava bastante alta. A sensação realmente foi impagável de saltar de paraquedas, algo que nem saberia dizer com palavras como é. Foi menos de um minuto de queda, mas parecia uma eternidade, em comparações!!!



No final, aquela cara de "Nossa, que louco cara!!!"



Realmente foi uma das melhores sensações em tão pouco tempo que tive na vida e indico a todos que um dia tenham alguma experiência como esta, porque apesar de ser uma atividade não muito barata, valeu a pena.

Mando aqui um especial muito obrigado ao instrutor Rodrigo Pato que conduziu muito bem todo o "passeio". Caso queiram contatá-lo, segue o Intagram dele: @rodrigopato.paraquedismo

Caso queiram saber um pouco de como foi o salto, segue o vídeo abaixo para apreciação. Espero que consiga encorajar vocês.



Com isso chego ao final dessa radical postagem.

Espero que tenham gostado e se aventurado tanto quanto eu.

Até a próxima aventura!!!

4 comentários:

  1. Julioooooo! Ficou bom demais o post!! Que coragem cara! Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Mariane!! Foi muito radical, mas muito emocionante e vale a pena.

      Só precisa de uma super dose de coragem.

      Excluir
  2. Que aventura hein....!!! Parabéns pela coragem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Raquel!!! Tive que ter muita coragem mesmo, mas valeu super a pena fazer isso. =)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...